Acerca de mim

A minha foto
Who am I? who cares? no matter. He knows who I am, and that, yes, that cares...

domingo, março 05, 2006

Aprender a dizer... NÃO!

Já alguma vez te sentiste amarrado? eu já. Muitas vezes. Sempre que faço algo que não quero fazer, sinto-me como que "algemada".
Desde pequenos, ouvimos as "pessoas crescidas" a falar acerca da liberdade.
Crescemos a pensar que ser livre é algo como os pássaros que têm asas e voam livremente.
Quem nunca ouviu alguém dizer que gostava de ser livre como um pássaro?
Ouso ir mais longe... quem nunca ouviu alguém que se acabou de divorciar (ou que não tem compromisso com ninguém.).. "Sou livre que nem um passarinho?"
Todos acabamos, de um ou outro modo por crescer a pensar que ser livre é não ter compromissos nenhuns...
Acabamos por nos desiludirmos mais cedo ou mais tarde, porque o ser humano à medida que se desenvolve, desenvolve mais e mais compromissos.
Aliás, o tão famoso stress desenvolve-se e cresce dentro de cada um de nós à medida que se desenvolvem e crescem as nossas agendas de compromissos. Compromissos de família, compromissos de trabalho, compromissos com a igreja local, compromissos com os amigos e conhecidos, compromissos..., compromissos..., compromissos...
E vamo-nos algemando mais e mais, sentindo que as nossas tão almejadas asas se estão a distanciar de nós.
Ficamos meio confusos, não é? Bem, pode ser que tenha sido só eu que tenha sentido isto ao longo da vida...
Uma das minhas maiores "algemas" ao longo da vida foi o... SIM.
O sim? mas como o sim pode ser mau? Afinal não é uma negação, mas uma afirmação! quem não gosta de ouvir um sim? Pois é... Para mim foi o sim. Fui educada com uma mãe maravilhosa. Deu-me muito amor, muito carinho. Ensinou-me a ser humilde, a servir, a ajudar. Ensinou-se a ser misericordiosa.
Mas eu não aprendi que o NÃO também pode ser bom.
Na educação das crianças, dizemos mais vezes o "não" do que o "sim". Faz parte. Se não lhes dissermos "não", as crianças terão muitos problemas de desenvolvimento e de relacionamento futuros.
A Biblia ensina que se devem ensinar as crianças e que a "vara" deve estar presente.
Pois é. Mas eu não consegui desenvolver o "não". E, mesmo quando o dizia, havia sempre alguém que me dizia que o "não " era abandonar as pessoas, era não ajudar. E se eu falava de Deus...deveria dizer... sim!
Acabei por ficar algemada ao "sim". Tornou-se uma prisão. "Ninguém" aceitava um não de minha parte.
Graças a Deus libertei-me dessas algemas. Actualmente estou a desenvolver o NÃO como uma autêntica criança... e, estou a gostar imenso da experiência.
Hoje, na igreja, falou-se daquela Parábola das 10 virgens.
5 delas eram prudentes e andavam com azeite suplente para as suas gambiarras, outras 5 não andavam com azeite suplente.
Quando o azeite se acabava nas gambiarras e ficavam sem luz, as que tinham azeite suplente, muniram novamente as suas gambiarras e tiveram luz para ver na escuridão da noite, mas as outras 5 não tinham azeite suplente e por isso ficaram às escuras.
Pediram às outras o favor de lhes emprestar um pouco do seu azeite, afinal assim, todas ficavam com as gambiarras acesas não é verdade? Não seria isto ajudar? Cooperar?
Mas a Biblia diz que as prudentes disseram: NÃO, aconselhando as suas companheiras a irem buscar elas mesmo azeite, pois caso contrário todas corriam o risco de ficar sem luz nas gambiarras.
Diz a Biblia nesta história que enquanto foram buscar mais azeite, o noivo chegou e apenas as virgens prudentes entraram na casa do Noivo.
As outras quando regressaram ficaram do lado de fora.
Afinal... dizer NÃO também pode ser um sinal de prudência, de sabedoria.
Dizer não, não significa (sempre) que tenhamos falta de amor, que sejamos arrogantes, que não queiramos ajudar.
Dizer não, não significa (sempre) que estejamos a abandonar quem precisa, que estejamos a colocar-nos isoladamente ou num lugar mais alto do que os outros.
Dizer não, pode ser... a nossa finalmente... liberdade!
E esta liberdade... tem que ser conquistada pela vida que cada um individualmente escolhe seguir.
Pensei para comigo mesma:
Talvez valha a pena eu meditar nisto!
Tinoca Laroca

6 comentários:

Nuno Barreto disse...

É mesmo preciso aprender a dizer não. Muitas vezes é a resposta mais acertada.

Vilma disse...

Sem dúvida! O "Não" é uma palavra dura de ser ouvida e muitas vezes, de ser dita, mas ela é tão importante. Muitas e muitas vezes sinto-me livre quando digo "Não"!

rui miguel duarte disse...

Excelente reflexão. O "não" também faz parte da vida e do nosso leque de opções, é uma necessidade. Acima de tudo, tendo em vista bens maiores, o cumprimento de desígnios maiores e melhores para nós e para os outros.
Falas nos pais e nos filhos. Ainda não sou pai, mas como professor posso dizer que é preciso dizer "não" aos meus alunos (que são como filhos por empréstimo).
E o "não" que temos de dizer, com frequência, a nós mesmos?

Tinoca Laroca disse...

Amén! Precismos mesmo dizer muitas vezes NÃO a nós mesmos.
Obrigada pelos comentários e pelas reflexões.
Bjs.
T.

Anónimo disse...

Liberdade não é uma questão de sim ou de não! Liberdade é mais do que isso. Podemos dizer sim quando deveríamos dizer não, e podemos dizer não quando deveríamos dizer sim. Liberdade nesse domínio é ter a sabedoria para dizer sim ou dizer não, e a humildade para voltar atrás quando errar! Zé Pedro.

Tinoca Laroca disse...

Amén Zé Pedro... AMÉN!