Acerca de mim

A minha foto
Who am I? who cares? no matter. He knows who I am, and that, yes, that cares...

domingo, agosto 13, 2006

A Minha Graça te basta...

"... foi-me dado um espinho na carne... acerca do qual orei por 3 vezes ao Senhor Jeová para que Ele o desviasse de mim;
Ele porém respondeu-me: A Minha Graça te basta, porque o Meu Poder se aperfeiçoa na fraqueza...
por isso sinto prazer por ser fraco, por ter momentos em que mentem e falam mal de mim, por ter momentos em que sou perseguido, por ter momentos de ângustia, por amor de Cristo.
Porque, é nos momentos em que estou fraco, que então, sou forte"
2 Coríntios 12:07-10
No meu post anterior, escrevi sobre a passagem de Ezequiel 13 (quem tiver curiosidade dê uma "espreitadela").
Tenho reflectido bastante sobre essa passagem, pois creio que a minha caminhada, a caminhada de cada um de nós, é uma construção, uma autêntica obra prima.
Pedras preciosas que nascem em bruto, e, que vão sendo lapidadas ao longo da vida.
A Bíblia diz que somos pedras vivas, Aleluia! Assim, responsáveis também pelo modo como somos moldados, lapidados.
A minha meditação acerca de Ezequiel 13 centrou-se na palavra "Paredes"...
"Paredes" = EU, a minha essência, o meu interior, o meu alicerce, a minha "casa".
A "cal + adubo" = material que Deus pediu para usar na construção da minha "casa", para que eu tenha "paredes" fortes.
Na passagem de Ezequiel 13, verifico que Deus tinha ordenado ao Seu povo que construísse as paredes das suas casas com cal + adubo. Esta era uma mistura tipo lodo.
Só que o povo preferiu seguir um "atalho": passou a usar só cal.
Fico imaginando o porquê: as casas assim ficavam mais branquinhas, mais bonitinhas, mais aprazíveis aos olhos. Além disso, economizavam tempo e material. O adubo serviria assim exclusivamente para o cultivo.
Além de todas as vantagens que já enumerei, não tinham que meter as mãos na bosta, o que convenhamos, não é agradável nem aos olhos nem ao olfacto.
Tal como a construção física das casas com cal, os profetas também preferiram ir por atalhos e diziam o que as pessoas queriam ouvir: "PAZ"!
Espiritualmente, os profetas também estavam a construir casas sem adubo, fazendo pregações apressadas, mais bonitinhas, falando o que todo o mundo gostava de ouvir (nada disto é longe de nós, ou é?).
Construir as paredes da minha vida, do meu EU com cal e adubo não é tarefa fácil.
O adubo cheira mal e mexer em bosta não é de todo agradável.
Ter que fazer aquela mistura nojenta e depois ainda ter que a colocar nas minhas paredes com as minhas próprias mãos...
E porquê logo eu ter que misturar algo tão mal cheiroso, fedido, com algo tão branquinho, tão bonito como o é a cal?
Só que o adubo quando é colocado na terra, dá-lhe vida, é fonte de vitaminas e sais minerais.
Se eu colocar adubo nas minha vida, a cal absorverá o adubo, e, as paredes ficarão mais fortes. Eis o porquê.
Então, quando as tempestades inevitáveis da vida chegam, os que edificam as casas com cal sem adubo ficam envergonhados, porque as suas fundações ficam expostas. A verdade é que nunca entregaram as suas misérias ao Senhor Jeová, apenas viveram edificados em "cal".
Sem entrega não pode haver perdão.
Sem uma edificação forte não pode surgir momento de felicidade, sem a "cal+adubo" não sou inteira, não sou verdadeira, não tenho a minha própria identidade.
A construção das minhas paredes não pode ser feita apressadamente, não pode ir por atalhos.
É uma construção diária, no dia-a-dia comum.
Tenho meditado sobre isto.
Pedi a Jeová que me ajudasse, me ensinasse. Preciso continuar a aprender.
Não quero ir por atalhos.
Alguém escreveu-me o seguinte:
"Sou culpado. Mestre em contruções que só utilizam cal sem adubo. Sou bem intencionado, mas, dificilmente faço a coisa certa. Se olhares minhas mãos, verás as manchas brancas ainda úmidas e sem cheiro ruim. Será que Deus vai ter misericorida de um pecador contumaz como eu?"
Respondi logo ao perguntado.
Muito apressadamente, pensei depois.
Atalho? Talvez sim.
Hoje, continuo reflectindo nisto.
Da minha reflexão pessoal surgiu 2 Coríntios 12:07-10.
"A Minha Graça de te basta" é algo que surge repetidamente vezes sem conta em minha mente.
As respostas estão dentro de nós.
Hoje, o Toninho (pastor da família cristã onde estou congregada) relembrou-nos que cada um de nós é:
Templo do Espírito Santo,
Sacerdócio Real,
Sacrificio vivo.
As respostas estão dentro de nós.
Estarei ausente nos próximos tempos. Tempo de descansar... reflectidamente.
"A Minha Graça te basta".
Talvez...
valha a pena...
reflectir nisto.
Tinoca Laroca

5 comentários:

Lou disse...

Se Deus disse "A minha Graça te basta" então não precisamos de mais nada. Certo? Preciso parar de ficar prometendo coisas em nome do Senhor.

Boas férias e não demore. Sentirei saudades. Deus te abençoe.

Marlene Maravilha disse...

Este é um dos versículos mais lindos do Evangelho para mim.
"A minha graça te basta." Sigamos em frente somente.
bjo

sofia disse...

Obrigada.

DTA :-)

Flá Mendes disse...

Foi giro, chegar aqui e dar de caras com uma imagem cá de casa, ainda mais para lembrar-nos sobre a graça. Que a graça nos baste, e suas misericórdias continuem a renovar-se dia após dia.
bençãos

Florzinha disse...

A minha Graça te Basta!!!
amados! que palavra
!!!
Ou benção..
a graça de Deus é sufiente pra vc!!

o poder dele se aperfeçoa na sua fraqueza!!