Acerca de mim

A minha foto
Who am I? who cares? no matter. He knows who I am, and that, yes, that cares...

quinta-feira, abril 27, 2006

Liberdade????... LIBERDADE!!!!

Liberdade???
LIBERDADE - JESUS é a RESPOSTA!
No passado dia 25 de Abril, comemorou-se em Portugal mais um "25 de Abril" - dia da liberdade.
Mas que liberdade? Será que o homem pode algum dia ser verdadeiramente livre?
Reflecti sobre isto. Recordei os primeiros anos após a revolução do 25 de Abril.
Anos dificeis. Na altura, dificeis, conturbados, e, confusos, especialmente para uma criança como eu o era ainda na altura.
Lembrei-me dos dias em que o meu pai andou eufórico. O povo aliava-se às campanhas socialistas, comunistas, e, sei lá o que mais, tudo o que fosse sinónimo do que todos queriam: liberdade.
Mas também lembrei-me dos confrontos que a minha família teve que depois enfrentar mais tarde por ser simplesmente... comerciante. Criou-se o estigma que os comerciantes eram capitalistas. Daí... daí que se faziam bloqueios aos mercados e sei lá o que mais.
Um dia... um dia tive que ver uma roda de mulheres em volta da minha mãe para lhe espancar, e, o meu pai envolto em confrontos com outros homens. Tudo porque tinham entrado no mercado para vender a mercadoria. Não percebi nada daquilo, na altura fiquei confusa e assustada.
Tive que ouvir muitas e muitas vezes, as "freguesas" da minha mãe, a dizer-lhe que era capitalista, muito rica. Aquilo deixava-me confusa...porque a verdade é que em casa não tinhamos fartura, comia-se do que sobrava da venda (e a minha mãe vendia essencialmente carapau e sardinha), comia-se farinha 33 ou farinha amparo, sopa de nabiças. Este foi o meu menu até sensivelmente aos meus 10 anos de idade, ou seja até aí sensivelmente ao ano de 1980. Enquanto a maioria das meninas da minha idade comia cérelac ou nestum, eu comia farinha 33, enquanto a maioria das meninas da minha idade comia carne, eu comia carapau a semana toda, enquanto a maioria das meninas da minha idade tinham bonecas e brinquedos variados, eu tinha uma ou duas bonecas daquelas que se compravam lá na praça e que passado um ou dois dias já não tinham pernas ou braços. Brincava essencialmente com os brinquedos do meu vizinho do rés-do-chão. Capitalismo, riqueza, o que era isso de que a minha mãe era acusada? Confesso que aquilo foi criando em mim uma certa aversão ao 25 de Abril e ao que chamavam de liberdade. Que liberdade era essa que maltratava os outros, ofendia inocentes com mentiras, e, ainda por cima, trazia preconceitos? Sim, porque tive que viver com o preconceito da sociedade da altura (inclusive colegas na escola) só por ser filha de peixeiros. Era isso a liberdade? Essa liberdade não servia para mim.
Confesso que aqueles tempos não são boas memórias, e, que esta coisa do capitalismo e do comunismo e sei lá o que mais ficou gravado na minha memória da pior maneira.
Talvez por isso, hoje em dia, não tenha construído em mim ideologias politicas. Soa-me tudo a falso, a hipocrisia.
25 de Abril foi importante. Levei muito tempo a perceber isso. A história ajudou. O tempo também. Um povo que estava fechado sobre si mesmo, numa completa cegueira e ignorância, finalmente, viu uma luz lá ao fundo. O facto de Portugal estar fechado dentro de uma Europa que evoluia a passos largos, trouxe como consequências um povo analfabeto, ignorante e pobre. Muito pobre.
Mas 25 de abril não trouxe verdadeiramente a liberdade. Porque muita gente morreu inocente após esse tempo.
Houve exageros, como sempre o houve e sempre o haverá em qualquer revolução.
Os que trazem uma revolução, querem depois incutir a todos a sua ideologia.
Onde está a liberdade? A verdadeira liberdade do homem não existe fora dele.
Porquê? Porque haverá sempre alguém que tentará "obrigar" o outro a defender e prosseguir a sua maneira de pensar.
É isso que a sociedade faz. Regras e Regulamentos que a maioria defende, e, que todos têm que seguir. E, não estou contra, muito pelo contrário. Defendo ordem, respeito, regras. O que quero frisar é onde está a verdadeira liberdade?
A verdadeira liberdade não existe fora do homem.
A liberdade existe sim, dentro do homem. Como?
"...Como dizes que poderemos ser livres?
disse Jesus:
Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que vive a cometer o pecado é escravo do pecado.
Ora, o escravo não permanece sempre em casa dos patrões, mas o Filho, esse sim, permanece em casa para semrpe.
Se o Filho vos Libertar, Verdadeiramente vocês serão LIVRES"
João 8:33-36
Pensei para comigo mesma:
Talvez...
Valha a pena...
Eu meditar nisto!
Tinoca Laroca

4 comentários:

Lou disse...

É díficil perceber a proposta de liberdade verdadeira em Jesus.
A Igreja aprisiona com seus dogmas e falsas crenças e nos distancia da lberdade ideal do Filho que liberta, como você disse.
Ele nos escravisa Nele para nos libertar. Complicado né?

Tinoca Laroca disse...

Luiz,
Não é complicado.
é simplesmente...
COMPLEXO!
Bjs.
T.

Marlene Maravilha disse...

Com Jesus no comando sinto-me verdadeiramente livre. Não sei viver sem Ele, acredites.
Cristo é a Resposta- é o nome da igreja que congrego.
Cristo é a resposta, para o mundo atual. Além dEle não há outro, só Ele é real!!! Conheces esta musiquinha??
abraços

Ghernandes disse...

O nome da igreja que sou membro é "Cristo é a resposta" =]
E Ele realmente é a solução para todas nossas indagações
Deus abençoe